top of page

Greve distrital em Aveiro e concentração com forte participação dos professores. Hoje, Lisboa!


Aveiro foi a penúltima paragem da segunda ronda da greve por distritos que percorreu o país desde o dia 17 de abril e termina hoje, 12 de maio, em Lisboa.


Também os professores e educadores do distrito de Aveiro responderam em massa ao apelo das organizações sindicais e interromperam o seu dia de trabalho a partir do meio-dia. Algumas centenas estiveram presentes na concentração desta tarde na Praça da República, onde o Secretário-geral adjunto da FENPROF Francisco Gonçalves se juntou aos professores e educadores em greve.


A greve dos professores chegou ao distrito de Aveiro e, para além da greve que se iniciou ao meio-dia, duas concentrações de protesto e exigência dos professores e dos educadores realizaram-se naquele distrito. A primeira, no arranque da greve, frente à Escola Secundária Dr. Mário Sacramento; a segunda, a partir das 15:00 horas, com docentes de várias escolas do distrito a concentrarem-se na Praça da República daquela cidade.


Os professores prosseguiram, assim, a sua ação em mais um dia de uma luta que se mantém, entre outras matérias, enquanto o tempo de serviço que foi roubado aos docentes não for recuperado.


Para a FENPROF e para o SPRC a recente promulgação do diploma de concursos e de gestão de pessoal pede o reforço da intervenção, devendo ir buscar-se forças ao fundo das razões por que iniciámos e prosseguimos a luta.


Apesar de realizadas mais de meia dúzia de reuniões em que a FENPROF interveio sempre de uma forma construtiva, o governo persiste em não abordar matérias essenciais, sem as quais a profissão não será atrativa e bem considerada: regime de aposentação, horário de trabalho e abolição da burocracia a que os docentes têm sido sujeitos, e recomposição da carreira ou, ainda, a necessária alteração da legislação sobre mobilidade por doença são aspetos centrais e motivos maiores da luta dos professores.






bottom of page