top of page

Na Ucrânia, como em todo o mundo, a opção terá de ser pela Paz!


Fotografia do mosaico elaborado pela EB da Calheta (RA Madeira)
para o Mural comemorativo dos 46 anos do 25 de Abril


O Secretariado Nacional da FENPROF, reunido em 3 e 4 de março de 2022, perante o conflito bélico que estalou na Europa, aprovou uma posição de condenação da guerra e da entrada de forças militares russas em território ucraniano.

Sejam quais forem as circunstâncias ou razões aduzidas, nada justifica, em momento algum, a opção pela guerra, que provoca vítimas inocentes e põe em risco a vida das pessoas, obrigadas a abandonar as suas casas e a refugiarem-se noutros países.

Vítimas principais da guerra são os trabalhadores e as trabalhadoras, perdendo empregos e bens, assim como as crianças e jovens, que deixam de ter acesso à escola e a uma organização familiar e social estruturada.

Face à situação criada, a FENPROF manifesta a sua total solidariedade com as organizações sindicais, em particular as de docentes que, nos países envolvidos, se opõem à guerra, exigindo a criação de condições para que estes voltem a poder exercer a sua atividade profissional em segurança.

A FENPROF reafirma, em relação a esta situação, o que sempre disse quando o mundo se confrontou com outros conflitos, por exemplo, na Palestina, no Sahara Ocidental, no Iémen, na Síria, no Iraque ou no Afeganistão: o caminho para a resolução de problemas só pode ser o da Paz, sendo urgente pôr fim à escalada bélica em curso. Portugal deve dar o seu contributo para que assim seja, de acordo com a sua Constituição e no respeito pela Carta da ONU.

Por último, a FENPROF, solidária com o povo ucraniano e com todos quantos sofrem com a guerra, contribuirá para assegurar apoio humanitário, no âmbito da ação a desenvolver pela Internacional da Educação, organização que integra e de que é membro fundador.

Lisboa, 4 de março de 2022

O Secretariado Nacional da FENPROF

Comentários


bottom of page